Varizes Pélvicas

Varizes pélvicas diagnosticada pela tomografia

O retorno do sangue da região pélvica acontece pelas veias ilíacas internas e veias ovarianas. A veia ovariana esquerda drena para veia renal esquerda, enquanto a veia ovariana direita drena para veia cava inferior na maioria das vezes. O fluxo invertido em alguma dessas veias podem causar varizes pélvicas e a síndrome da congestão pélvica. Essas varizes podem ser encontradas em até 10% das mulheres em idade fértil.

 

Veias da Pelve

Veias da Pelve

Sua origem pode ser hormonal causado pelo hormônio feminino estradiol que causa dilatação das veias ovarianas e uterinas, principalmente durante a gestação. Outras causas de varizes pélvicas são a síndrome de May-Thurner ou síndrome de Cockett, trombose das veias ilíacas ou veia cava inferior e compressão da veia renal esquerda pela artéria mesentérica superior (síndrome de Quebra-nozes ou Nutcracker).

A síndrome da congestão pélvica pode causar sintomas como dor pélvica, sensação de peso na pelve principalmente ao final da tarde após ficar muito tempo em pé ou sentada e melhora com repouso deitado. Outros sintomas também podem ocorrer como dispareunia  (dor durante a relação sexual), dismenorreia (dor durante a menstruação), dor durante  o ato de urinar, sensação de bexiga sempre cheia e constipação.

O refluxo das veias pélvicas pode ser drenada para veias dos membros inferiores causando as varizes de membros inferiores. Essas varizes dos membros inferiores têm a característica de aparecerem em região de glúteos, parte interna da coxa próxima à genitália e podem se estender até o tornozelo.  Estima-se que a origem de 3% dos casos de varizes de membros inferiores seja das varizes pélvicas.

Varizes de Membros Inferiores Provenientes de Varizes Pélvicas

Varizes de Membros Inferiores Provenientes de Varizes Pélvicas

Os sintomas das varizes dos membros inferiores originadas das varizes pélvicas são dor tipo cansaço nas pernas, edema, câimbras principalmente no final da tarde após longos períodos em pé. Essas varizes de membros inferiores podem complicar com tromboflebite (oclusão da veia varicosa e inflamação), dermatite ocre e úlcera venosa.

O diagnóstico é feito pela ultrassonografia que mostra veias dilatadas e pode mostrar a origem do refluxo. Para complementação do diagnóstico e planejamento do tratamento pode ser necessária a flebografia ou a tomografia computadorizada.

Varizes pélvicas diagnosticada pela tomografia

Varizes pélvicas

O tratamento cirúrgico das varizes de membros inferiores que têm origem de varizes pélvicas tendem a ter recidiva precoce, pois, a cirurgia de varizes apenas, não trata a origem do refluxo. A taxa de recidiva pode chega a 50% em cinco anos. O tratamento das varizes pélvicas antes da cirurgia de varizes diminui essa recidiva.
O tratamento cirúrgico das varizes pélvicas consiste em ligadura da veia ovariana ou da veia ilíaca interna por videolaparoscopia. Esse tratamento é eficaz, porém necessita de anestesia geral. Em casos que essse tratamento não é eficaz pode ser necessária também a retirada do útero e do ovário.

O tratamento endovascular consiste no implante de pequenas molas (embolização com coil) para causar obstrução da veia ovariana ou veia ilíaca interna. Pode ser utilizado escleroterapia com espuma de polidocanol para ajudar na oclusão. Outros agentes embolizantes também podem ser utilizados para ocluir a veia (Gelfoam, sulfato de tetradecil, Cianocrilato). A grande vantagem da embolização é ela poder ser realizada com anestesia local, acesso com um cateter fino pela virilha e necessitando de algumas horas para recuperação.

Varizes_Pelvicas

Veia Ovariana Esquerda

Cateterização seletiva da veia ovariana esquerda

Varizes Pélvicas Embolização

Resultado após embolização com coil e espuma

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>