Uso de Células Tronco para pacientes com Isquemia Crítica

Células TroncoA isquemia crítica é uma forma de doença vascular periférica que é definida como sendo o fluxo arterial insuficiente para manter as funções normais dos tecidos.

Têm uma incidência de 300 casos por milhões de habitante por ano e apesar dos tratamentos atualmente disponíveis, muitos pacientes vão morrer ou sofrer amputação maior em cinco anos.

Dada a prevalência da isquemia crítica na população , há uma necessidade do surgimento de novas terapias para salvamento do membro , além dos tratamentos atualmente disponíveis, tais como a modificação dos fatores de risco , o tratamento clinico medicamentoso, as cirurgias de revascularização e as angioplastias.

Alguns pacientes com isquemia crítica não são candidatos à cirurgia de revascularização por uma variedade de razões, deixando-os sem opção e levando a amputação e posteriormente a piora a qualidade de vida.

Uma nova opção de tratamento, o uso de células tronco, tem beneficiado alguns pacientes que sofrem de isquemia crítica devido a diminuição do fluxo de sangue para as pernas e que não são elegíveis para cirurgias de revascularização.

Uma maneira de aumentar o fluxo de sangue em um membro é “colateralização”, onde o corpo de um paciente responde a obstruções dos vasos sanguíneos através da criação de novos canais alternativos para que o sangue flua em torno de artérias bloqueadas (circulação colateral).

Baseado nisso, nessa nova opção de tratamento os médicos fazem a coleta de células-tronco que estão presentes em altas concentrações na medula óssea do próprio paciente e após um período de preparo do material coletado , elas são injetadas  no membro isquêmico como um esforço para estimular o processo de colateralização .

Entre as medidas iniciais analisadas correspondentes a uma boa resposta a esta terapia estão a melhoria da dor e a diminuição das úlceras e gangrena existentes; trazendo consequentemente uma melhora na qualidade de vida.

Dr. Walter Jr. Boim de Araujo

Sobre Dr. Walter Jr. Boim de Araujo

CRM: 19850-PR. Graduado em Medicina pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Residência Médica em Cirurgia Geral pela UEL e em Cirurgia Vascular pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre e Doutorando em Cirurgia pela UFPR. Título de Especialista em Cirurgia Vascular; Ecografia Vascular com Doppler e Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular pela SBACV/CBR/AMB. Membro da Sociedade Brasileira de Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular (SOBRICE) e International Member da Cardiovascular and Interventional Radiological Society of Europe (CIRSE). Médico Assistente do Serviço de Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular do Hospital de Clínicas da UFPR. Preceptor da Residência Médica em Cirurgia Vascular e Endovascular do Hospital Angelina Caron.

Comentários encerrados.