Trombose Venosa e Viagens de Avião – Síndrome da Classe Econômica (SCE)

Trombose Venosa e Viagens de Avião – Síndrome da Classe Econômica (SCE)

A trombose Venosa ocorre quando há formação de um coágulo sanguíneo em alguma veia do corpo, geralmente nas pernas. Esse coágulo bloqueia o fluxo de sangue e causa inchaço e dor na região. O problema maior é quando um coágulo se desprende e se movimenta na corrente sanguínea, em um processo chamado de embolia. Uma embolia grave pode ocorrer quando o coágulo chega até os pulmões, causando de maneira súbita falta se ar ( chamada de dispneia) e dor no peito.

 

Síndrome classe economica

A chamada “Síndrome da Classe Econômica” é um nome popularmente dado à trombose venosa profunda e pode afetar qualquer pessoa que viaja sentada por longos períodos de tempo. Inicialmente descrita como um problema relacionado a viagens de avião – dai o seu nome. Hoje se reconhece que viagens de automóvel, trens e ônibus também são fatores predisponentes.

 

 

Nos aviões outro fator que colabora é a qualidade do ar, pois a umidade do ar dentro da cabine é de apenas 10-20%, quando o ideal é no mínimo de 40%. Essa baixa umidade, além de facilitar a desidratação, resseca a pele e as vias aéreas, podendo desencadear crises em pacientes com asma ou enfisema/bronquite crônica.

A trombose venosa ira ocorrer na presença de fatores de riscos, os quais podem ser relacionados a própria pessoa ou então devido a fatores externos.

Fatores relacionados a própria pessoa podemos citar a idade maior que 40 anos, pessoas que se submeteram recentemente a cirurgia ( principalmente nos últimos 3 dias), pessoas portadoras de doença oncológica ou cardio respiratórias, portadores de obesidade, varizes, aqueles que ja tiveram um episódio de trombose previa, etc.

Fatores externos como no caso de viagens, podemos citar o fato de ficar muito tempo sentado (imobilidade), privação de líquidos levando a desidratação, fatos estes que ocorrem nas viagens longas, superiores a 4-6 horas por exemplo. Ao ficar sentado por muito tempo, a circulação sanguínea fica mais lenta, aumentando a pressão venosa nas pernas e possibilitando a formação de coágulos que podem se deslocar e atingir o pulmão, causando morte súbita por embolia.

Estudo no Aeroporto de Heathrow, em Londres, registra uma morte de passageiro por SCE ao mês. O hospital mais próximo dali registrou a morte de 30 passageiros nos últimos três anos.

O ex vice presidente dos EUA, Dan Quayle é uma das mais notáveis vítimas da TVP, sendo acometido pela doença durante um vôo em 1994

Como Prevenção é recomendado

– Caminhar durante sua viagem

– Tente levantar-se e caminhar ao menos por cinco minutos a cada duas horas. Caso não seja possível, tente simular uma caminhada com movimentos em suas pernas. Ajudando o sangue a circular melhor e diminuir o risco de trombose;

– Evite desidratação – Esta condição provoca constrição dos vasos sanguíneos e hemoconcentração (o sangue “engrossa”). Assim, evite bebidas alcoólicas principalmente as fermentadas (cervejas) e mantenha uma ingestão líquida apropriada;

– O uso de medicamentos anticoagulantes, deveráser usado somente por recomendação médica;

– Use meias elásticas medicinais – Estes dispositivos melhoram o fluxo sanguíneo venoso e diminuem a possibilidade de trombose venosa;

– Evitar roupas muito apertadas;

– Evitar sedativos para não ficar em uma mesma posição durante muito tempo;

– Não fumar antes de embarcar.

Lembramos que para que ocorra a trombose venosa e posterior embolia pulmonar, são necessários vários fatores na formação do coagulo, em caso de duvidas procure um cirurgião vascular, para maiores esclarecimentos.