As doenças cardiovasculares são, atualmente, a principal causa de morte no mundo.

As doenças cardiovasculares são, atualmente, a principal causa de morte no mundo.

Essas doenças, na maioria das vezes, são causadas pela Aterosclerose, que é o acúmulo de gordura e outras substâncias na parede das artérias, o que leva ao estreitamento desses vasos e provoca um déficit sanguíneo nos tecidos irrigados por eles.

A aterosclerose é silenciosa e pouco sintomática, até que atinja níveis avançados, momento em que, geralmente, aparecem sintomas isquêmicos (decorrentes da falta de circulação). Trata-se de uma doença sistêmica, que pode levar à angina e infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC ou derrame), doenças arteriais periféricas, alterações dos rins, entre outros acometimentos.

A causa exata da aterosclerose não é bem conhecida. No entanto, alguns fatores aumentam o risco de seu aparecimento e são cumulativos, o que significa dizer que quanto mais fatores uma pessoa apresentar, maior será seu risco.

Fatores de Risco

• LDL-colesterol (colesterol ruim) elevado.
• HDL-colesterol (colesterol bom) diminuído.
• Hipertensão arterial (mais conhecida como pressão alta) maior ou igual a 140/90 mmHg. Em pacientes com doença renal crônica ou diabetes, a pressão arterial elevada é definida como maior ou igual a 130/80 mmHg.
• Tabagismo: pode lesar os vasos sanguíneos, além de aumentar a pressão arterial. Fumar também dificulta a oxigenação dos tecidos.
• Diabetes: o nível de açúcar no sangue é muito alto, ou porque o corpo não produz insulina suficiente, ou porque não usa a insulina adequadamente.
• Resistência à insulina: ocorre quando o corpo não consegue usar a insulina corretamente. Esse hormônio ajuda a mover o açúcar do sangue para as células, para ser usado como fonte de energia.
• Sobrepeso e obesidade.
• Sedentarismo.
• Dieta rica em gorduras saturadas e trans, colesterol, sódio (sal) e açúcar.
• Idade: Os fatores genéticos e/ou estilo de vida causam a formação de placas nas artérias à medida que envelhecemos. Nos homens, o risco aumenta após os 45 anos e nas mulheres, após os 55 anos.
• História familiar de doença cardíaca precoce: pai ou irmão com doença cardíaca antes dos 55 anos, mãe ou irmã com doença cardíaca antes dos 65 anos.

O controle dos fatores de risco ajuda na prevenção da doença. Isso pode ser feito com dieta balanceada, atividade física regular, abandono do tabagismo, controle rigoroso do diabetes e da pressão arterial e acompanhamento médico regular feito por cirurgião vascular e/ou cardiologista.